Sem tamanho

Essas moças que eu desejo serão sempre desespero
Desejo Teresa, desejo Neusa
Desejo às dúzias e às centenas
As nativas e as estrangeiras
Louras, brancas, morenas
As de pouca melanina e muito desejo as negras
E todas que sentam à minha mesa
Que arrodeiam a minha cama e todas que nela deitam
Todas me tiram o senso
Mas a toda me ofereço
De tal forma que jamais descobrem a minha aflita natureza
Há tantas que eu quero
Que de tanto as querer é imenso o que eu não tenho
Há tantas que é sem tamanho o meu desespero

– José Carlos Capinan

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s