O véu

Distantes

Olho no olho, no frescor,
comecemos também algo:
juntos
respiremos o véu
que nos esconde um do outro
quando a noite se dispõe a medir
a distância que ainda existe
entre cada forma que ele adota
e cada forma
que ele nos deu.

– Paul Celan

Anúncios

Uma resposta

  1. Fernen

    Aug in Aug, in der Kühle,
    laß uns auch solches beginnen:
    gemeinsam
    laß uns atmen den Schleier,
    der uns voreinander verbirgt,
    wenn der Abschied sich anschickt zu messen,
    wie weit es noch ist
    von jener Gestalt, die er annimmt,
    zu jener Gestalt,
    die er uns beiden geliehen.

    março 23, 2011 às 9:35 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s